A fábrica de SP da L’Oréal Brasil está se preparando para a digitalização de todas as operações

17/04/2018 | Brasil Beauty News

Com o projeto Fábrica do Futuro em São Paulo, a L’Oréal Brasil integra inovações tecnológicas e digitalização na rotina das operações, buscando flexibilizar a produção e reduzir custos.

A digitalização na fábrica não fica só no campo da estratégia, mas queremos utilizar a tecnologia para otimizar o trabalho, aumentar a produtividade, melhorar a qualidade e diminuir a exposição ao risco. O mais importante aqui é trazer para dentro da cabeça de cada colaborador um pouco da semente da inovação”, ressaltou Antonio Grandini, Diretor da Fábrica de São Paulo.

Uma das mudanças já implementadas é o uso da tecnologia – projetada para interagir com a mão de obra humana – que otimiza as etapas de produção, diminui seus custos e aumenta sua flexibilidade.

Conceito criado na Alemanha, em 2011, a Indústria 4.0 visa incluir iniciativas de automação, tecnologia de realidade aumentada, inteligência artificial e interconectividade entre dispositivos para otimizar toda a escala do processo produtivo. “Esse está totalmente alinhada com o frame estratégico da L’Oréal Brasil e estamos trabalhando na digitalização de documentos de qualidade, apontamentos de produção, implantando soluções com uso de drones, e sistematicamente, robôs colaborativos em nossas operações. Estamos em processo de definir uma função dedicada para lidar com transformação digital”, destacou Grandini.

Mudanças praticas

Embora outras iniciativas de digitalização já estivessem sendo implementadas na fábrica nos últimos anos, o projeto Fábrica do Futuro – que projetou como os colaboradores gostariam que o espaço fosse em 2050 – serviu para encorajar as mudanças. “O Comitê da Fábrica fez um trabalho de analisar os contextos sociais, econômicos, políticos, ambientais e tecnológicos para definir o perfil dessa nova operação e quais são as tendências que deverão ser colocadas em prática para alcançar esse cenário”, contou Caio Nunes Carneiro, Coordenador de Qualidade.

De acordo com a L’Oréal Brasil, os colaboradores estão diretamente envolvidos no processo, que foi incorporado ao planejamento estratégico da Fábrica.

(…)

Voir l’intégralité de l’article


Natura espera alta de cerca de 75% no faturamento até 2022

20/04/18 | UOL Economia

A Natura estima crescimento de 80% no desempenho operacional da companhia nos próximos cinco anos, segundo projeções divulgas nesta sexta-feira (20) que levam como base fatores como a integração da fabricante brasileira de cosméticos com a rede internacional de lojas The Body Shop.

A empresa espera registrar lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de pelo menos R$ 3,1 bilhões em 2022 ante R$ 1,74 bilhão obtido em 2017.

Ainda para 2022, a Natura espera alcançar receita líquida consolidada de pelo menos R$ 17,2 bilhões, o que seria uma expansão de cerca de 75% em relação ao faturamento do ano passado, que somou R$ 9,85 bilhões.

A fabricante de cosméticos realiza nesta sexta-feira uma reunião anual com analistas e investidores.

Redução de gastos e aumento de receitas

No caso das projeções para o Ebitda, a Natura afirmou em comunicado ao mercado que considerou menor relação das despesas operacionais com vendas e administrativas diante do crescimento da receita líquida, além de oportunidades de economia resultantes de programa de compras global.

Já as projeções para a receita consideram ainda a estimativa da consultoria Euromonitor para o crescimento do mercado global de beleza e cuidados pessoais, de 5,3% ao ano em dólares até 2022; a expansão da operação da Natura no Brasil e em outros países; o plano de reestruturação da The Body Shop no mundo e a expansão de lojas próprias e outros canais da marca Aesop.

(…)

Voir l’intégralité de l’article


Crescimento está de volta no Brasil, diz diretora do FMI

19/04/18 | Folha de São Paulo

Christine Lagarde pediu precaução na forma como o gasto público é executado no Brasil.

A diretora-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional), Christine Lagarde, comentou nesta quinta-feira (19) o que chamou de “a volta do crescimento no Brasil”, e o atribuiu às reformas feitas até aqui.

“O que nós finalmente estamos vendo no Brasil é uma retomada, é o crescimento de volta”, disse a diretora, em entrevista à imprensa durante encontro do FMI, em Washington.

Lagarde celebrou as reformas chave e estruturais feitas até aqui, mas afirmou que nem todas foram levadas a cabo. Ao longo da semana, relatórios do órgão expuseram a necessidade de uma reforma da previdência no Brasil, e destacaram o crescente endividamento público do governo.

“É hora de fazer uma consolidação fiscal inteligente, gradual, dada a situação fiscal e o peso da dívida”, disse Lagarde.

A diretora pediu precaução na forma como o gasto público está sendo executado no país, e sugeriu um equilíbrio entre o estímulo à economia e a construção de políticas para evitar colapsos fiscais num futuro próximo.

O FMI (Fundo Monetário Internacional) melhorou a previsão de crescimento do Brasil para 2018, confirmando a tendência de alta que vinha anunciando em suas revisões anteriores.

(…)

Voir l’intégralité de l’article